Um jantar no Sant Pau, pelos olhos de Amanda Monteiro

3 10 2011

Texto e fotos por Amanda Monteiro, amiga, irmã e jornalista:

 

O conjunto de sensações proporcionado pelo menu degustação do restaurante Sant Pau impressiona. Os pratos são tão bonitos que dá até dó de comer. Mas a dó acaba na primeira mordida. Desde o caldo de boas vindas até os petit fours, são 13 tempos, mas fiz um plus com o prato das espardeñas.

 

Um caldo de boas-vindas abre o banquete, sopa fria bem temperada, com sabor familiar. E eis que chegam na mesa os quatro aperitivos (que no mês de setembro são inspirados na cor violeta). A “lámina de patata violeta, paté de conejo, mostaza”, com certeza é o melhor dos quatro. Deliciosa, crocante, perfeita. Seguida do “buñuelo violeta, queso, chutney de moras”, também muito gostoso. A “berenjena violeta, dashi frio” e o “cuscús violeta” têm mais beleza que sabor. Acompanhando os aperitivos, vem um menu ilustrativo onde os desenhos são a própria Ruscalleda quem faz.

 

Em uma caixinha de madeira, como uma verdadeira obra de arte, vem o “Modrian gastronômico”. Mais uma vez, sabor e beleza casam perfeitamente. Mesmo sendo marcantes, os sabores do bacalhau, da azeitona e dos pimentões são sentidos perfeitamente, sem sobressair um ao outro. Acompanha muito bem o pão da casa, que merece um destaque à parte. Bem crocante por fora, super macio por dentro.

 

O próximo prato é o “Terciopelo de tomate, langostinos…”, vulgo veillut (em catalão) ou salmorejo. O molho tem um sabor forte, mas casa bem com os camarões e temperos. A louça em que ele é servido é elegante e bela.

 

“Ravioli vegetal y jamón Joselito…” é o melhor prato da noite. (E é injusto que minha amizade com o cozinheiro que faz o prato coloque em xeque a afirmação. Mas é a verdade). Diferente de qualquer ravioli que eu já tenha comido, cada detalhe traz uma boa surpresa aos olhos e ao paladar. Os sabores se misturam com equilíbrio. O molho de dentro é delicioso, o jamón (Joselito, considerado o melhor do mundo) dá o toque final. E cada uma das salsas permite um contraste diferente de sabor. Repetiria sem pensar duas vezes.

 

“cigala.” (seria como o nosso lagostin) também entra nos favoritos. A combinação é perfeita. A receita do tempero é milenar (ou é a mesma há séculos…), e muito gostosa. Mantenham a tradição! O bombom com o molho é uma agradável surpresa, de textura interessante. Quando se rompe, o molho se junta ao tempero e os sabores se acentuam.

 

O prato da espardeñas (os tais pepinos do mar) traz um mix de texturas muito gostoso e interessante. O viscoso da carne com os crocantes e o sabor do molho, juntos, são divinos.

 

O curry do Pez Loro é sensacional. Prato muito harmonioso, os vegetais dão equilíbrio ao tempero forte.

 

Aí vem a parte difícil: escolher entre o potro ou o pie. Escolhi o pé e gostei. O prato é muito bonito, e é interessante o sabor de torresmo com as amêndoas e as hortaliças. Mas no final, a gordura do pé pesa e deixa um pouco enjoativo. (E a curiosidade de saber como seria o potro é grande!)

 

O prato de queijos traz combinações interessantes, mas são tantos sabores seguidos que acaba ficando enjoativo.

 

E vem, então, minha parte preferida: a sobremesa que nem deu tempo de tirar a foto da primeira pois nesse momento o Thadeu subiu para comer comigo e a atacamos.. E o “sorbete de piña, …” já está na lista das minhas preferidas. O sorvete de abacaxi, referescante e azedinho, quebra o doce da calda, da farofa, do tocinillo e das amoras açucaradas. É perfeito. Inclusive eu trocaria a segunda sobremesa “que traz uma telha de chocolate branco sobre morangos e um creme, meio sem doce”, por outra dela!

 

Por fim, os petits! Vêm lindos, em um vagão de trem. São 10 ao todo. Destaque para o “Fresita“, que traz uma frutinha (ou é pistache?) dento de um cubo de vinho doce gelatinado, com uma base de pistache. Além de gostoso, é visualmente incrível.

O atendimento do restaurante é impecável. A Chef Carme Ruscalleda foi muito simpática e veio na mesa me cumprimentar e perguntar sobre o jantar. O ambiente é elegante e sofisticado, além de contar com um lindo jardim, com árvores, e vista para a praia. Vale a pena conhecer e se deliciar nesse 3 estrelas Michelin que fica a 1hr de trem de Barcelona.

Para mais de Amanda Monteiro visite: http://dorminhante.blogspot.com





3.2 turbo

14 08 2011

Uauuuuuuu nem parece, não me sinto… me lembro que quando criança via as pessoas com 30 e pouco anos e os achavam velhos e hj com 3.2 turbo me sinto tão jovem quanto com 20. Ta certo, um pouco mais chato e “velho” no sentido ranzinza da palavra hehe. Happy b Day pra mim. “E no principio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus”(Joao 1:1) e o Verbo sonhou comigo, e o Verbo me fez, o Verbo me amou primeiro, e hj o Verbo me falou que “pois melhor é o seu amor do que o vinho”. Assim seja sempre, que o amor pelo Senhor seja meu melhor paladar, minha melhor escolha.

                Muito do escrito no meu niver do ano passado permanece, não mudou muita coisa, apenas o lugar, as pessoas, mas o Senhor permanece. Apesar de uma manha totalmente estressante no trampo, aqui estou depois de comer um chocolate com um copo de água gelada, descansando para voltar a trabalhar, e da le raviólis. No começo da semana tivemos um revival pelo facebook de uma musica que nos marcou muito. Abraão, da Simone Ramos, querida e saudosa já que não esta em vix. Creio que esse revival foi pro meu niver…

“Não há nada mais que eu possa dizer para provar, que a sua historia não terminará aqui.

Não há mais jogo a jogar, agora é somente esperar, e provar o seu coração.

E se o tempo demorar a passar, não pense que tudo foi, sonho perdido por insensatez e que nunca voltara.

Olhe as estrelas no céu, e se lembre de Abraão, quanto tempo ele esperou mas Deus cumpriu pois, nenhum caminho seu falhou”

http://www.youtube.com/watch?v=3QqaEaMEwgE         para escutar a musica

Não tem o que discutir, aquele que começou a boa obra é fiel para cumprir-la. Essa é a esperança que se renova a cada manha, junto com o sol. Me preparando a cada dia para viver as promessas, os sonhos, os planos Dele pra minha vida.

Essa semana me presenteei com um almoço no El Celler de Can Roca, e foi uma experiência para  vida. Fomos em 7 do grupo aqui, de trem, comemos coisas jamais imaginadas por nós, meros mortais, tomamos cava, apressamos os garçons para nos servirem rápido pois tínhamos horário para voltar. O restaurante é simplesmente muito bonito, se é ou não o segundo melhor do mundo não sei, mas que é digno de todo marketing feito nele, isso sim é. Fizemos um tour pela cozinha excepcional, com o Joan Roca nos apresentando tudo, claro que tiramos foto, logo fomos a bogeda de vinhos. Não tem como descrever, só estando, mas para cada tipo de vinho, havia um ambiente com uma musica que caracterizava o vinho, e um speech regado a seda, areia, pedras, incrível. Depois fomos comer, “texturam bien, sabor… hummmm”muito bom de sabor tb, 98% me tirou o suspiro. E para completar, na hora final dos petit fours… Chocolate com maracujá… creio que especialmente pra mim hehe. Mas é bom saber que dos mínimos detalhes Ele cuida e tem cuidado e sempre cuidara.

Sds de casa nesse dia, sds dos pais, que amo tanto e honro pois sem eles não seria metade do que sou. Sds das irmãs lindas, dos sobrinhos amados ao extremo, dos primos, tios, amigos, amigos mais chegados que irmão, de tudo, de todos, de dar um bom mergulho na praia, poderia ter dado aqui mas a preguiça não deixou ehehe; dos sharabas.

Mas… vamos que vamos, all around com o Senhor, porque Ele é bom e seu amor dura para sempre.

“O Teu amor me fascina, mexe com meu coraçao, enche-me de alegria, gera em mim uma paixão.

Quero que venha o Teu reino, Tua bandeira levar, ver as naçoes se prostrando para Te adorar…

Meu coraçao, será sempre Teu, quero viver, só pra te amar, e desfrutar do Teu amor, me envolver em Teus braços sentir Teu calor”….

VEm Deus…..

                             

                                       





GaStRoMiAnDo por ai…

19 07 2011

…Termo novo de autoria própria, mas é que quando viajo, estou turistando, como fui comer hoje, resolvi que estava gastromiando.

Após meses sem escrever, uma longas férias, dias que sou azeitona (post antigo), dias que não, resolvi escrever hoje. Para quem não sabe, continuo em Sant Pol de Mar (Barcelona), no restaurante Sant Pau da Carme Ruscalleda, o contrato era de uma temporada, e o restaurante convidou eu e um outro brother pra fazermos mais uma temporada. Não vem de mim, mas da graça do Pai que tudo sabe. Hoje, verão, minha rotina esta dividida em trampo x casa x praia. Mas hoje resolvi fazer algo diferente e fui gastromiar em outro lugar: Restaurante Alkimia em Barcelona, tem 1 estrela na guia Michelin.

                Acho que pelo nome Alkimia, esperava que fosse muita firula em texturas etc, mas ao final não foi nada com o qual não estou a costumado a ver por aqui. Muito boa comida com preço acessível a 3 tipos de bolso (conta com 3 menus distintos), eu fiz o menu Alkimia que era o completo e me deliciei ate a ultima mordida literalmente. Foram 2 aperitivos, 9 tempos de comida, 2 sobremesas e petit fours. A sensação que mais encontrei na casa foi crocante, vários tipos: queijo, pão, verdura, chocolate. Normalmente sou fiel ao pão branco, mas resolvi provar também (depois do branco claro) uma única fatia de um pão com frutos secos, a única fatia se converteu em 5 e não pedi mais por vergonha afinal não fui la pra comer pão. Na minha primeira mordida minha mente voou aos natais em família, cheiro de natal na pousada dos pinhos, casa. Me passei com o tal do pão, mas não foi a única coisa não. Fiz um serviço rápido, 2 horas de prazer comestível. Bacalhau com tomate, ostra escabechada com cara de porco, sépia, lagosta, peixe, gnhoc em formato de grão de bico, e carne de vaca com uns onion rings de tirar o chapéu.  A tal cara de porco estava muito boa, desmanchava, com um toc de molho de soja com coentro. A lagosta estava pra la de cozida, o que foi uma pena pois o prato estava legalzinho. Um espaguetti de abobrinha, ótima idéia porém… o espaguetti é ruim de enrolar no garfo, das duas uma, ou você cola a boca no prato quase, ou sai sugando o espaguetti e daí molho pra todo lado. Já a sobremesa não me surpreendeu tanto assim mas estava muito boa. Uma delas tinha uma folha crocante de chocolate muito fina e aveludada. GREAT. Outra era um gaspacho de pepino com morangos e tal, mas o diferente foi que o gaspacho tinha bastante azeite por cima.

                Quando pensei eu que já estava satisfeito, pedi uma xícara de café para acompanha (detalhe a xícara mais cara de toda minha vida, 5 euros), pois bem, comecei com os petit fours, o que não sou tão chegado assim, fui pela ordem dita e o ultimo, parecia um bombom/pirulito de chocolate branco (que também não é meu forte) mas para minha mega surpresa, era um sorvete dentro. Ta, ser um sorvete banhado em chocolate não é nada de mais, porem, o sorvete era de Maracujá. Já falei que pra mim não há coisa melhor que maracujá com chocolate? Daí sim, quando acabou o sorvete, me senti: acabei de comer, estou satisfeito. Muito bom esse sentimento. Esse foi literalmente meu Happy ending.  Detalhe final para a caixinha onde vem a conta… bem legal. Na decoração,  achei um restaurante cool. Todo branco, pinturas, lustres, poucas luzes. Bem style.

Daí no caminho ao metro, fui pensando como Deus é bom né? Maracujá no final hehe, e realmente é um prazer trabalhar comendo. Vou tentar me dar esse luxo de ir a alguns restaurantes assim mais vezes, mas por conta da crise não rola muito hehee. A próxima já esta marcada: 11/8 no El Celler de Can Roca, que se tornou minha obsessão frustrada de estagio, 3 estrellas Michelin e 2 melhor do mundo pela Restaurant Magazine. Vou comemorar meu niver em alto estilo como não faço a um bom tempo….

No mais é isso, vamos que vamos, All around com o Senhor….

                                                                                                         





A águia e o escravo…

11 04 2011

…Cinéfilo de plantão, diz eu que entendo de filmes. Na verdade gosto, e não me recordo da vida antes de assistir-los. Não cultuador dos clássicos, vejo o novo, analiso. Gosto de filmes bons, ruins, pelo simples fato de ver. Recordo-me de assistir por n vezes, “Esqueceram de Mim”, “O pestinha”, “Edward Mãos de Tesoura”, “Coração Valente”(imbatível), chorar com “A Paixão de Cristo” (infalível amor) e “Desafiando Gigantes” ao lado de Jaque num retiro, e tantos e tantos. Assistir com meus pais e irmãs no primeiro vídeo-cassete trazido do Paraguai há muitos e muitos anos atrás. Hehe. Assisto tudo, quase tudo pois nem tudo convém. Me recordo na época de morar no Ingrid onde alugava 10 filmes de uma vez. Ir no cinema e assistir 3 um atrás do outro. Nada melhor.

                Porque do assunto? Bom, hoje comecei a ver um filme sem pretensão alguma, mas resultou em um bom filme, mas daqueles que Deus fala. Sim, Ele fala. O filme se chama “A Aguia” (The eagle). Meio filme de tela-quente, com atores nem tanto conhecidos. Mas a historia é de um comandante de um batalhão de Roma, que luta pela reconquista da estatua de uma águia, ultima vez vista em posse de seu pai, que por “perder-la” trouxe desonra ao nome da família. Ele então vai recuperar-la para trazer de volta honra ao seu nome. Para a missão, ele leva junto seu escravo, que em certo ponto para salvar o senhor, se passa por senhor, e o senhor escravo. Chega um ponto em que o escravo é ordenado a deixar ao senhor (ferido) e prosseguir a viagem sozinho, esse o nega, pois jurou não abandonar-lo e servir-lo, mas que só seguiria viagem sozinho se o senhor o pusesse em liberdade. O senhor assim o fez, mas vocês acham que o escravo foi embora? Não, ele simplesmente não quis deixar seu senhor, eis que o escravo, livre, optou por servir e ser leal. UAUUUUUU. Deus é bom. Na hora, parei e abri minha bíblia em Deuteronômio 15: 12:18 que relata mais ou menos isso. Ouvi essa pregação a anos atrás, em salvador, King’s Kids e fiquei apaixonado. Fala da libertação dos escravos na época, onde após 6 anos servindo, o senhor o podia liberar e não o fazer de mãos vazias, e dar-lhe algo para “recomeçar” sua vida, porem se o escravo disser que: “não quero deixar-te porque ama a ti e a tua família, e se sente bem contigo, então tomarás uma sovela e lhe furaras a orelha contra a porta, e será para sempre teu escravo.” Ouvi essa pregação com o coração chorando conhecendo este como “o escravo de orelha furada” Ribashurias. “Sou livre mas optei por te servir. Pois descobri que após te conhecer e te servir tanto, já não vivo eu mas o Senhor em mim” creio que deve ter sido esse o pensamento desse escravo da bíblia. O escravo livre então se torna amigo do Senhor. Relacionamento com o Senhor, nada mais Ele quer. No filme o escravo vai buscar ajuda, e volta com o antigo exercito do pai do senhor.

Esse exército havia abandonado o antigo comandante num momento de luta e dificuldades, mas regressaram porque seguramente não encontraram paz, até que um dos soldados foragidos solta a seguinte frase: “Quando eu fugi do seu pai, me dei conta de que eu fugi de mim mesmo”. Uau outra vez. realmente não esperava nada por essa noite, por esse filme, mas o Pai nos agracia em tudo né? Assim somos nós, quando fugimos da presença de Deus, fugimos de nós Nele, nos perdemos em nós mesmos. Já diria Paulo, nada pode nos separar do amor de Deus senão nós.

A águia é forte, se renova de tempos em tempos, ”mas os que esperam no Senhor renovarão suas forças, subirão com asas como águias, correrão e não se cansarão, caminharão e não se fadigarão” (Isaias 40:31). Eu quero, quero a reconquista da águia a cada dia (honra), mesmo que para me renovar Nele seja ferido, quero ser o escravo que uma vez livre, permanece em servir, quero ser o livre que se torna amigo e o amigo que agrada e compartilha com o Senhor. Fica ai a dica de filme, não sei se vão gostar tanto quanto eu, mas que Deus tenha uma porção separada pra sua vida.

“As vezes sinto que me amou, mais do que Seu próprio filho, pois o deste em meu lugar”

Vamos que vamos depois de um dia de praia….





Paris, charming…

30 03 2011

      Apesar de todas as facilidades de viagens baratas na europa, normalmente, por n motives, não tiro muito tempo pra viajar por aqui, mas esse fds em especial, optamos por mudar e fazer um passeio. Destino: Paris.

      Cidade luz, historia, cultura, moda, amor e comida, muita comida. Em toda esquina uma padaria, um restaurante seja restaurante bom seja pra turista.  Encontramos uma promoção ida e volta pela Ryan air girona-paris beauvais por 24 euros, e fomos. Esse aeroporto é um pouco desconhecido e “longe” da cidade, o único jeito coletivo de chegar la é de ônibus, que sim sai um pouco caro (15 euros o trajeto) mas msm assim nos saiu mais barato que voar em outra Cia. A distancia ate paris é 1:15h. Rapido e fácil.

      Chegando em paris fui para a casa de uns amigos. Há uns anos atrás estive em paris mas apenas em 2 destinos, a torre e notre dame, e na época achei a cidade complicada de se locomover, como turista, mas dessa vez já mudei minha impressão. Paris é muito fácil, claro se souber pra onde esta indo. Tem sempre nosso amigo Google para nos ajudar tb. Não fui pra desfrutar a cidade e sim os amigos, mas fizemos programas de turista sim. No domingo a noite fomos fazer o passeio do Bateau Mouche no rio sena, custo ate em conta: 10 euros, e 1:15h. Confesso que se for sozinho não tem graça, mas desfrutar de umas boas companhias torna bem interessante. Paisagens de tirar o fôlego e fazer fotos, muitas fotos. Sou suspeito pra falar de andar de “barco” mas sim, vale muito a pena fazê-lo.

      Ah, a comida, sugerido por uns dos chefs aqui no Sant Pau, fomos ao restaurante Ze Kitchen Galerie, localizado perto a notre dame. Queriamos comer bem e barato, mas nada de comida de turista. O restaurante tem 1 estrela na guia Michelin, e é uma combinação de alta cozinha francesa com um toque inovador asiático. Se você é daqueles que não gosta de gengibre, coco, coentro e algumas outras especias, não o faça, caso o contrario, desfrute. O restaurante tem 3 opçoes de menu, fora a carta. Comemos um menu: entrada, prato principal e sobremesa, com pão e água por 39 euros cada. Quase uma bagatela para um restaurante desse porte. Vale muito a pena. Fica ai a dica.

      Paralelo a paris, queria registrar um “paraíso quase desconhecido” chamado Andorra. Ë um pais com 500km de extensão, entre a Espanha e a frança. Eu particularmente nunca havia ouvido falar ate chegar na Espanha. O lugar é vales e montanhas, cheio no inverno pelas famosas estações de esqui, e cheio no verão pelas tantas atrações de um ecoturismo. Paisagens surpreendentes, vilas inteiras com casas de pedra, tornam o lugar ideal para um weekend no inverno. A parte mais interessante: TAX FREE, isento de imposto, com coisas muito, muito baratas. Na verdade não sei a originalidade das coisas, pois alguns preços são realmente muito mais baratos que em uma loja em qualquer outro lugar. Quem gosta de uma boa comprinha, de Barcelona até Andorra gasta cerca de 2:30- 3:00h

Vamu que vamu, all around com o Senhor…. que venha a primavera.





POETA ABERTA

20 02 2011

Pq se todo pai é heroi, o meu não é diferente….. achei essa reliquia de 1995…

POETA ABERTA

Um fervilhar de emoções, 

De descobertas,

De ansiedade,

De medo,

De desilusão.

Um fervilhar de idéias,

De pensamentos vagos,

De pensamentos férteis,

De muita imaginação.

Um fervilhar de encontros em si,

De vasculhar seus íntimos,

De buscar, mesmo onde não se tem,

De fazer surgir, mesmo onde não há.

Papel e mente numa intensa luta,

Em que se tenta, em pequenas linhas,

Grandes emoções transportar.

Numa esperança crescente,

Fervilhante,

Envolvente,

De saber, quem vai ganhar?

“Um fervilhar de encontros em si, De vasculhar seus íntimos, De buscar, mesmo onde não se tem, De fazer surgir, mesmo onde não há.'”  derrepente, mais uma vez,  me dei conta de que Deus nos cuida sempre, mesmo muito antes de sabermos quem Ele era, deu essa palavra profetia e de fé. O firme fundamento do que nao ve mas do que se espera…. EsperarNele, com a porta aberta… Lov u dad, Lov u Dad (God)

ps, a poesia foi referente a um concurso de poesias que tinhamos na escola com o livro Porta Aberta

Vamu que vamu…





“Feliz aniversario, envelheço na cidade…”

24 01 2011

Joyeux Anniversaire

Um brasileiro, vivendo na espanha saludando um francês, feliz aniversario Paul Bocuse (completando 85 anos). Para quem não sabe, Bocuse é um dos pais da nouvelle cuisine, tendo inicio na França, sendo estendida assim a todo o mundo. Sim ele revolucionou o mundo gastronômico. Em uma entrevista antiga a revista VEJA, o Chef espanhol Ferran Adrià declarou em bom tom: “Bocuse mudou a história da alta cozinha. A culinária contemporânea é herança dele”. Mesmo tendo revolucionado o meio, Bocuse nunca reivindicou o titulo de “pai da nouvelle” e afirmou certa vez que: “A única coisa que mudou na minha vida foram os lençóis da minha cama.”

Mas não é bem assim, seu império gastronômico conta com restaurantes, brasseries, e escola em Lyon, França. Em seu restaurante l’Auberge du Pont de Collonges, Bocuse ostenta as 3 estrelas da guia Michellin por mais de 40 anos e é considerado embaixador da gastronomia francesa. Na verdade seu aniversário será dia 11/02, porém 25/01 será comemorado com um jantar excepcional. Reunindo os melhores chefs do mundo em um verdadeiro banquete na cidade de Lyon. O banquete esse ano será por conta das mulheres. Desde entradas até sobremesa, tudo será com o comando delas. Nada mais nada menos que: Lea Linster (Lea Linster, Luxemburgo), Anne Feolde (Enoteca Pinchiorri, Italia), Anne Sophie Pic (Maison Pic, França), Carme Ruscalleda (Sant Pau, Espanha), Luisa Valazza (Al Sorriso, Italia), Nadia Santini (Daí Pescatore, Italia). Todas com 3 estrelas da guia Michelin.

Claro que puxando a farinha pro meu lado, a chef Carme Ruscalleda oferecera no jantar o prato Mondrian Gatronomic. Atualmente estou fazendo estagio no Sant Pau, e é com prazer que compartilho que aqui no restaurante quem faz esse prato sou eu. Agora sim em outras palavras, um brasileiro, estagiando na Espanha, alimenta por tabela o Frances Paul Bocuse. Não, não vou com a equipe no jantar, mas estou na equipe da pré-preparação, rs, mas se vocês se aventurarem a comer no restaurante, eu quem o faço. O mondrian é um prato a base de brandada de bacalhau com azeitonas, pimentões e amêndoa. Um sabor surpreendente e um prato/quadro daqueles que da pena de comer de tão bonito. Um futuro post falarei sobre as diferentes formas “mondrianisticas” que encontrei ao pesquisar um pouco.

Quem venham os 90, e muitos outros de Paul Bocuse. Feliz aniversário,feliz cumpleaños, joyeux anniversaire…








%d blogueiros gostam disto: